segunda-feira, junho 09, 2008

Spinning

Apesar do meu "charme de intelectual", sou uma pessoa que, quase diariamente, malha numa academia por prazer. Nos primeiros anos (os 24 que não voltam nunca mais), eu seguia o padrão da maioria dos tímidos, gordinhos ou velhinhos: adotava a camiseta de malha velha imensa (ou de festival de música, cinema, entre outras que recebia nos tempos do Agenda), uma legging super discreta e tênis (dos mais baratinhos) usados à exaustão porque considerava (e isso eu ainda considero) um abuso pagar mais de 200 reais num tipo de calçado que não me apetece.

Há algum tempo, aquelas camisetas viraram pano de chão. Embora eu malhe com roupas apropriadas, não compro nada na Track&Field, seguindo a lógica do tênis. Tenho um banco gel, um polar digno e desenvolvi um convívio amigável com determinados professores e alunos. Nada disso me transformou em "rata de academia". Tão pouco deixou meu "abdômen chapado e o bumbum durinho" em três sessões semanais de musculação, como pregam as revistas de estética.

Hoje ao meio-dia fui interceptada por uma colega que fizera a aula de 11h. Ela estava muito empolgada e disse que a seleção estava sensacional. Imaginei que deveria estar mesmo, pois a criatura em questão não faz parte do estereótipo da gatinha (aparenta uns 40 anos e tem sim corpinho de 20) que grita na aula, vibra quando o professor coloca um DVD do DJ Tiesto.

Qual minha surpresa quando entro na sala? Ivete Sangalo ao vivo durante 45 minutos! Acho que meus batimentos subiram de raiva porque eu não tenho essa de achar que ela é uma artista da MPB, blá blá blá. Em minha classificação old school, a fofa é axé e eu não gosto de Ivetinha, Claudinha, Chiclete ou Asa de Águia. Eu já morri: não vou atrás do trio elétrico e, definitivamente, considero um absurdo ele vir atrás de mim.

Foi uma aula intervalada como outra qualquer com o "plus" de uma alegria "sai do chão" (frase que ouvi umas 5 vezes) nada condizente com a segundona "garfieldiana". Se fosse minha primeira aula, teria desistido e achado que academia é um ambiente insalubre, com gente de gosto duvidoso. Então, para que o tempo passasse de forma menos sofrida, montei mentalmente uma sequência dos sonhos que jamais seria aplicada por um professor de spinning (no entanto, o Klebão da musculação iria aprovar).

Aquecimento: Kiss - Rock and Roll All Nite - 65%
Primeiro Pico: Sex Pistols - God Save the Queen - 70% a 75%
Subida: The Clash - London Calling - 80%
Nirvana: Smells Like Teen Spirit - 85%
Ramones: Blitzkrieg Bop - 92%
Desanso: Faith no More - Falling to Pieces - 70%
Reta Final: Queens of the Stone Age: No One Knows - 80% a 85%
The White Stripes - Seven Nation Army - 92%
Descanso: Radiohead - Karma Police
Alongamento: Rolling Stones: You Can´t Always Get What You Want

Um comentário:

  1. Anônimo9:54 PM

    Não diria que faria o spinning com prazer, mas tal seleção musical ser-me-ia consoladora. Eu, que lia Baudelaire ("Paraísos Artificiais") na bicicleta ergométrica... rsrsr

    ResponderExcluir