terça-feira, novembro 23, 2004

Não, ainda não viajei. E por mais que chova canivete na Bahia, eu aproveitarei meus míseros dias de folga. Odeio chuva aqui, lá ou em qualquer lugar. Também duvido das certezas inabaláveis da meteorologia.

sábado, novembro 20, 2004

Hoje conheci o Davi, filhinho da Carol e do Fernando. Ele é tão bonitinho! Como não consegui publicar minha foto e de Fernanda com ele aqui no blog, criei um fotolog. Eu já cogitava a idéia há algum tempo e é bom que posso também publicar outras fotos das férias, dos amigos, etc. Já que tenho blog e estou no orkut, mais uma egotrip virtual não me fará mal algum...Para quem quiser acessar é só clicar aqui.

Assisti ao Jogo da Sedução, com o Gael García Bernal, homem mais lindo da atualidade depois do meu! Achei bem interessante. Parece uma comédia romântica e de repende vira suspense.

sexta-feira, novembro 19, 2004

Muita gente me pegunta como eu consigo ir para academia todos os dias. Não acho nenhum sacrifício e para dizer a verdade, até gosto. Sacrifício é fazer dieta. Fingir que saladinha no almoço e jantar é o Néctar dos Deuses. Em muitos momentos eu me divirto horrores durante aulas. Hoje mesmo na aula de body zen e em seguida na de spinning. Sexta é dia de telão e o professor colocou uns videoclipes (todos bregas ou batidões). Na etapa final da subida não é que a seleção de repertório chegou ao extremo com a Wanessa Camargo Gringa? Aquela Shannya Twain (nem sei se o nome dela se escreve assim) no talo! Olho para o lado e um tiozinho empolgadíssimo balança a cabeça como se ela cantasse para ele. A garrafinha do colega tem o brasão do Atlético (não, não é porque sou cruzeirense e sim porque abomino toques de celular e buzina com hino de time, além, claro, pessoas que andam de forma temática. O adversário foi apenas coincidência). Ele se exalta cada vez mais. Que fique claro que eu nunca berrei numa aula de spinning simplesmente porque não é meu estilo. Imaginei o cara soltando o guidão com um dos braços e balançando como num rodeio. Parei de olhar para ele porque já estava suspeito. Aí reparei que o clipe de Shannya é vermelho, preto e branco. Será que Meg e Jack White viram isso? No Brasil o White Stripes estourou bem depois. Estranho...


Repare na foto das pessoas levantando a bola. Eu sou a última, de azul e branco...

quinta-feira, novembro 18, 2004

Eu tinha muita coisa para postar, mas deixa pra lá... Amanhã - ou seria daqui a pouco - o clima é de férias. Só volto a trabalhar no dia 1º de dezembro.

Câmbio, desligo

terça-feira, novembro 16, 2004

Eu já desconfigurei este blog inteiro tentando adicionar os links e nada. Vou esperar o dia em que estiver com saco e disponibilidade...Well, ontem fui conhecer a Casa Ototoi. Gostei, mas não rendi. Passei a tarde com Mariiinha numa proposta Carrie Bradshaw: olhando vitrines do shopping e comprando alguma coisinha com descontaço imperdível. Mais uma vez a Manu nos deu um bolo, sem a menor satisfação até o momento. Ela está tão expert no assunto que pode abrir uma confeitaria...

Hoje trabalhei muito e no fim do dia fui comer uma pizza com Fernandinha e Tonico no Speciali. Amanhã é dia de "Run, Lud, Run". Porém o que importa é que vou tirar 10 dias de folga semana que vem!!!

segunda-feira, novembro 15, 2004

Fórmula de um fim de semana prolongado: dormir, comer e ver filmes. Não me culpo nenhum pouco pelo ócio que toma conta de mim. Afinal, trabalho muito e faço atividades físicas todos os dias.



Eu e o Alê vimos Nina no sábado. Gostei muito da história e principalmmente daanimação que se mistura com a narrativa. A Guta Stresser arrasa no papel da mulher perturbada, que vive com uma velha bruxa. Só de ter roteiro assinado pelo Marçal Aquino - numa livre adaptação de Crime e Castigo, do Dostoiévski - já vale enfrentar a enorme fila e entrar de finininho na sala escura.



No domingo assistimos Má Educação. Sou fã do Almodóvar, achei o filme muito foda. Porém fiquei com a sensação de que não foi o seu melhor. Curiosamente, quando cheguei em casa o José Wilker estava comentando exatamente isso na TV. O diretor tem o espectador aberto para gostar da sua produção, se surpreender mas peca ao repetir algumas fórmulas. E também achei que não há aquela dose de emoção de Tudo Sobre Minha Mãe, Carne Trêmula e Fale com Ela.

quarta-feira, novembro 10, 2004

Tenho que começar a evitar festas e coquetéis às terças porque quarta é o dia mais cansativo da minha semana. Mas ontem não teve jeito e encarei uma MBL com show de Nando Reis, encontro com pessoas que conheço e que não conheço (e mesmo assim batendo papo como amigos de infância). Amanhã tem Escuta Aqui com o Maurício Palhano, da Bay King (veja no Agenda às 19h)e abertura da exposição do Martielo. Sexta, jantar. Sábado, pernas pro ar.

domingo, novembro 07, 2004

Fim de semana é bom para grudar no Alê. Dormimos juntos, tomamos um bom vinho, almoçamos no Hokkaido e vimos o péssimo Os Esquecidos, que nem a Julianne Moore salva. A notícia boa fica por conta do nascimento do Davi. Parabéns, Carol e Fernando.

sábado, novembro 06, 2004

Shortcuts

I

Eu estou cada vez mais 99% de transpiração e 1% de inspiração. Será que ontem fez mesmo 37 graus ou foi um delírio que vi de relance no termômetro da Avenida Afonso Pena? Sinais de panela de pressão apitando: fui parar no local da segunda matéria achando que era a primeira. Esperei meia hora e liguei para a TV para saber aonde estava o entrevistado. Não era um, eram três? Cheguei a Praça do Papa e eles há quase uma hora torrando no sol quente! Não, isso nunca me aconteceu antes. No entanto, meus lapsos de memória são freqüentes. Depois de ler a pauta é muito comum olhar para a cara do entrevistado e perguntar para mim mesma: Quem é esta pessoa? Ela gravou um CD ou fez um filme? O que é que eu tenho que perguntar mesmo?

II

Outro dia assisti a um documentário no National Geographic sobre pragas estrangeiras. Formigas, algas, aranhas, etc de outros países que pegam carona em navios e aviões e passam a dominar o território desconhecido. Acho que pernilongos assassinos vieram parar em BH. Estou precisando de um cortinado para cobrir minha cama durante o sono. Repelentes não funcionam mais! Pior é que o verão nem chegou, apesar do seu horário infeliz já vigorar e me tirar do sério!

III

Finalmente fui tomar uma no Balaio de Gato com Marianinha. O lugar é um dos mais fofos e agradáveis de BH. Vi uma camiseta de gatinho que tem que ser minha. Podia até ser neste mês ou no próximo como presente, já que não tenho um único centavo extra para gastar comigo pelo menos até abril. Eu que nunca fui muquirana, estou tendo que aprender a duríssimas penas a economizar.

IV

O momento mais bacana desta minha semaninha trivial foi encontrar o Antônio na Rua Carangola. Além de ter sido um dos maiores amigos dos meus pais, suas filhas eram minhas melhores amigas da infância até a adolescência. Infelizmente, perdemos o contato e cada qual seguiu seu rumo. O Antônio também foi meu pediatra. Mais do que isso, sempre cuidou de mim com carinho. Nunca vou me esquecer dele na minha Casinha da Mônica (que devia ter um metro e vinte de altura contra quase um metro e noventa dele) tentando me convencer a tomar xarope. Enquanto minha mãe e a Augusta já haviam usado toda a psicologia e até bronca comigo, eu ficava lá só esperando a chegada do Antônio, que sempre me dava uma seringa sem agulha para eu medicar minhas bonecas. Afinal, se eu estava doente elas tinham pegado minha a gripe. Ao contrário dos outros pais, o Antônio sempre assistia ao teatrinho que eu e as meninas montávamos...

Com o jeito amável de sempre, ele ainda era o mesmo. Me abraçou forte e perguntou sobre minha mãe, minha irmã e até sobre meu pai, que eu não vejo há muito tempo. Falou que sempre que podia me via na TV e que tinha mostrado aos colegas do hospital quem eu era. Disse que a cada conquista minha, ele se sentia orgulhoso como se fosse meu pai. Fiquei sem palavras. Segui meu caminho engasgada com uma vontade de dizer para ele o quanto era especial e por mais que eu não fosse um dia casar na Igreja, se eu mudasse de idéia, iria chamá-lo para fazer as vezes de "pai da noiva". Percebi então que perdemos sim o contato físico com muitas pessoas que amamos, mas nunca o contato da alma e do coração.

quarta-feira, novembro 03, 2004

Cansaço é mesmo assim: quando eu tenho um feriado, como o de ontem, tiro para dormir. Quando não suporto mais dormir, vejo filmes. Ontem eu e o Alê pegamos dois muito bons e já estamos pensando nas minhas extensas férias de 10 dias...





Fora isso, praguejei o horário de verão e revi três episódios de Sex And the City na TV.

segunda-feira, novembro 01, 2004

E para encerrar o domingo, eu e o Alê vimos Corações Livres. Concordo com uma crítica que disse que o Dogma 95 salva o filme do melodrama.