sexta-feira, novembro 19, 2004

Muita gente me pegunta como eu consigo ir para academia todos os dias. Não acho nenhum sacrifício e para dizer a verdade, até gosto. Sacrifício é fazer dieta. Fingir que saladinha no almoço e jantar é o Néctar dos Deuses. Em muitos momentos eu me divirto horrores durante aulas. Hoje mesmo na aula de body zen e em seguida na de spinning. Sexta é dia de telão e o professor colocou uns videoclipes (todos bregas ou batidões). Na etapa final da subida não é que a seleção de repertório chegou ao extremo com a Wanessa Camargo Gringa? Aquela Shannya Twain (nem sei se o nome dela se escreve assim) no talo! Olho para o lado e um tiozinho empolgadíssimo balança a cabeça como se ela cantasse para ele. A garrafinha do colega tem o brasão do Atlético (não, não é porque sou cruzeirense e sim porque abomino toques de celular e buzina com hino de time, além, claro, pessoas que andam de forma temática. O adversário foi apenas coincidência). Ele se exalta cada vez mais. Que fique claro que eu nunca berrei numa aula de spinning simplesmente porque não é meu estilo. Imaginei o cara soltando o guidão com um dos braços e balançando como num rodeio. Parei de olhar para ele porque já estava suspeito. Aí reparei que o clipe de Shannya é vermelho, preto e branco. Será que Meg e Jack White viram isso? No Brasil o White Stripes estourou bem depois. Estranho...


Repare na foto das pessoas levantando a bola. Eu sou a última, de azul e branco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário