sexta-feira, abril 27, 2007

Semana de oitos e oitentas

Voltar à rotina. No último final de semana (e nesse também), plantão. Segunda: novos direcionamentos no jornal e sessão no Reserva Cultural do belo Vermelho como o Céu. Terça: com fuso horário trocado e mais cinema, em companhia da Giovana. Foi a vez do fraquinho Cartola, um documentário que não acrescenta nada para os que amam o sambista e muito menos converte os leigos. Quarta: trabalho além da conta, com reunião até tarde da noite. Quinta: trabalho se acumulando por conta do feriadão e uma esbórnia daquelas. Reuni a turma no Empanadas (com presenças ilustres daquels que só bebem Coca Light, como a finíssima Deborah Bresser). Faltou lugar na mesa, foi divertidíssimo ainda mais porque um amigo da editoria foi flagrado no Orkut em sessões de fotos hilárias. Estava para lá de Bagdá num churrasco e resolveu encenar a Paixão de Cristo (como ele não quis liberar a foto, fica meio sem graça só contar). Sexta: Enxaqueca por conta de aspirar a nicotina alheia e pescoção dos infernos. A boa notícia é que a tão esperada frente fria chegou. Amanhã, Uiara está em São Paulo com meu doce gatinho Téti, de quem estou morrendo de saudades.

domingo, abril 22, 2007

As canções que você fez para mim

Hoje me deu uma vontade de ouvir meus discos do Robertão! Pena que eles estão em BH e eu, de plantão. Mas graças ao You Tube achei umas pérolas como esse dueto com o Caetano...



E eu adoro esse cenário de neve com isopor. Eu sempre digo que a turma que trabalhava na TV naquela época era infinitamente melhor, uma brasa!



Participação especial: Reginaldo Farias. Show de atuação!

sexta-feira, abril 20, 2007

500 posts and so much to say

Acabou-se o que era doce. Depois das férias, de volta ao Limão. A rotina chega com direito a um plantãozinho básico de final de semana. E que plantão, uma vez que serei obrigada (graças ao meu amigo Bezzi) a suportar um show do Evanescence. Praticamente uma piada pronta. Só não é maior que a palhaçada da TAM (aos quarenta e cinco do segundo tempo de hoje). Tudo bem que o delay foi um pouco providencial, sobretudo para quem retoma o trabalho numa sexta-feira...

De resto - e do meu último escrito aqui - fiquei mais velha numa festa quase ótima (não foi perfeita pelo estresse que o lugar causou em mim e nos meus convidados), viajei para Ouro Preto na Semana Santa na companhia dos amigos paulistas Alex, Cinthia, Mari e Marcelo. Levamos a turma para um passeio básico por BH.





Depois, o Alê e eu nos dedicamos ao turismo a dois (que nunca é demais). Uns dias na Estalagem do Mirante, com vista para Serra da Moeda. Vinho, frio, cobertor e muitos DVDs.



Após os dias na montanha, fizemos uma breve parada em São Paulo. A ocasião foi especialíssima: o casamento do Luiz e da Telma. Uma linda cerimônia num templo budista e uma festa de arromba no Hotel Cambridge. Fiquei inutilizada no dia seguinte, mas valeu a pena. Mais uma vez, não peguei o buquê da noiva. A imagem roubada de um flog que o James me passou revela a empolgação dos convidados. Com destaque para as performances sempre hilárias de Daniels.



Pé na estrada mais uma vez. Sorteamos entre as opções, a mais próxima: Monte Verde ou Grinberg ou ainda "a Suíça mineira". A cidadezinha serrana é muito fofa, lembra Gramado, porém é o paraíso dos casais em lua-de-mel. Aqueles meio baranguinhos que curtem hits acústicos e pop internacional no estilo Roxette. Isso existe? Sim, em Monte Verde há toda uma trilha sonora "Good Times" aonde quer que você vá. Na minha opinião, essa segmentação "benhê" não é nada agradável. E como eu e o Alê costumamos ser sarcásticos não apenas nas horas vagas, preferíamos locais mais isolados para não destilar nossos risinhos e comentários sobre os pobres pombinhos.

Nesse post 500 eu queria contar uma novidade, no entanto, vou esperar um pouco ainda e contrariar meu condicionamento um tanto quanto boca grande. Talvez sejam as três décadas me ensinado a esperar as coisas acontecerem primeiro...

segunda-feira, abril 02, 2007

Um pouco de tudo

Assim seguem as férias: um misto de diversão, tédio, desleixo, filmes, encontros, discussões, sonos pesados, calor, reconciliação, dúvidas e esperanças. Encontrei-me com Mari Gazela e Marianinha. Há muito não pagava para entrar numa sessão de cinema, mas valeram os níqueis para Maria Antonieta e 300. No mais, as previsões astrológicas para o meu signo neste mês vão bem, obrigada.