sexta-feira, julho 16, 2004

Por uma vida menos ordinária
 
E chega um dia em que tudo o que você quer é paz, descanso. Eu ando num bloqueio criativo terrível e uma das coisas de que mais gosto - inclusive é o meu instrumento de trabalho - não tem me dado prazer. Não consigo escrever. Não consigo traduzir em palavras o que estou pensando ou sentindo. Meu texto anda pobre. Não tenho paciência pra ler, outra atividade que adoro. Às vezes tenho vontade de deitar na minha cama e só levantar quando tudo tiver passado. Que demorem dias, meses e até anos.
 
Gostaria muito de não ter que dar preocupação ou despesas  para minha mãe e, sinceramente, pensei que no alto dos 27 anos isso não aconteceria. Queria ajudá-la e, ao mesmo tempo, poder conduzir minha vida da forma que eu bem entendesse. Porém é justamente o contrário que está acontecendo. Isso só me dá angústia e vergonha.
 
Sei que essa fase reflete minha fraqueza e  minha incompetência . Estou entregando os pontos.  E pronto. Se tenho idéias e soluções na cabeça? Milhares! Só que a força para colocá-las em prática é zero. Não agüento pedras no sapato, além das que estão no meu caminho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário