segunda-feira, maio 20, 2013

Há alguém

Você não me perguntou, mas percebi sua intenção.
Estranho te conhecer tão bem só agora, e isso nem fazer diferença.
Você insiste sem ao menos me dirigir a palavra.
Eu te digo, sim, há alguém.
Depois que tudo entre nós se findou, e eu fiquei vendo a banda passar tocando coisas de amor (à toa na vida).
Displicentemente, coloquei flores na janela.
Estranhamente eram violetas.
Eu voltei a me alongar, parei de me delongar.
Ele chegou devagar.

Inesperadamente, diria.
Para mim.
Para você.

Há alguém.

Ele não sabe, suponho.
Não me arrisquei a contar.
Pois perco meu tempo imaginando como seria beijá-lo.
Eu gasto minutos nesse pensamento.
Esse pensamento dura horas ao longo do dia.
Porque chego bem pertinho da perfeição.
Quando abro os olhos, não há transito ou deadline que me tirem do sério.

Houve um dia que pensei em você dessa maneira.
E essa sua mania de me cercar, depois de ter me perdido, irrita-me bastante.

Penso nesse alguém na tarde de domingo.
Tomando esse vinho.
Imaginando o que ele acharia do novo livro que comprei.

Há alguém.

E dele, sinais que você não deu.
Como a chance de uma  manhã preguiçosa de sábado ao meu lado, que você evitou.

Porque simplesmente ele quer o mesmo que eu.




2 comentários:

  1. Há alguém que eu quero compartilhar sentimentos
    mas esse alguém não me quer da mesma maneira
    Meu coração me maltrata,
    e fico aqui, parado...
    sem eira, nem beira :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente sempre acha alguém para nos querer da mesma maneira, Brendo. Esse é meu desejo para você! Abraços

      Excluir