segunda-feira, março 26, 2012

Para atravessar março

Para atravessar março é preciso sombrinha, ainda que eu sempre perca a minha.
Necessário algum veneno antimonotonia.
Alguns trocados para dar garantia também.
Para atravessar março é preciso acender a vela da Santa Paciência, aquela que não me atende nem se eu subir de joelhos as escadarias de seu altar.
Necessário não se entupir de guloseimas como paleativo para ansiedade e coração apertado.
Que não falte a neosaldina para a ressaca, pois março, invariavelmente, pede mais uma dose.
Eu devia ter receitas infalíveis para atravessar março, como quem pisa em carvões incandescentes sem se queimar.
Um março de Radiohead, outros dois de férias.
Um punhado de marços de infernos astrais, retornos de Saturno.
Um março para encontrar o amor.
Outro para a prévia da separação.
Para atravessar março, os salões deviam abrir na segunda, pois quero cortar meus cabelos agora.
Para atravessar março, toda e qualquer cobrança deveria ser suspensa.
Necessário saber que o ano novo vai começar.
Fazer promessas, não cumprir a maior parte delas, como de habitual.
Abril chegará imperfeito. São aqueles três quilinhos para se perder, os shows que vou deixar de ver, a viagem que não farei e a paixão que não aconteceu.
Não quero bolo, nem choro, nem vela.
Para atravessar março só posso me apegar àquela que, dizem, não morre.

2 comentários:

  1. vinte-e-dois-dias-úteis.
    Ninguém merece isso, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não mesmo querida...ainda mais nativos de áries :)

      Excluir