sábado, novembro 22, 2008

Vôo Cancelado

Aqui estou eu mais uma vez presa em Confins. Como nos tempos do apagão, na minha época de ponte aérea Belo Horizonte-São Paulo. Resolvi adiantar em um dia uma viagem de trabalho, para ter tempo de rever amigos de quem sinto muita falta. Acho que sempre irei alimentar esse vazio porque talvez voltar não tenha sido uma boa idéia.Venho admitindo isso mais conscientemente. Passei a enxergar a nova vida velha de um modo não tão otimista. Pouco tempo me sobra para fazer aquilo que me dá prazer e as limitações culturais e profissionais do lugar onde nasci ainda pesam.

Como naquela propoganda da havaianas, a gente só pode criticar o que conhece. Eu me sinto nessa propriedade: sei que para muitos, sou vista como dura ou incisiva nas minhas opiniões. Não é só a cidade, mas muitas pessoas que moram nela. Há uma falsa simpatia no ar, uma hipocrisia que se traveste de "valores". Posso ter perdido a inocência, porém não atribuo essa "culpa" a outra pessoa que não eu mesma.

Fiz uma separação radical de quem são aqueles de quem gosto, tenho carinho e quero que sejam meus amigos. Considerando esse corte, a maioria arrebatadora do meu convívio passa a receber de mim da cordialidade de ocasião à indiferença. Neste último caso, referindo-me aos de temperamento sórdido. Eu não sou santa e confesso que até tento ter raiva. Ela dura no máximo um dia. Opto agora pelo "bom dia, boa noite e boa sorte", desejando do fundo da minha alma que a criatura tenha uma vida tranquila bem longe de mim.

Ainda falta um bocado para eu embarcar. Levo na mala alguns presentes e a convicção que, mesmo a trabalho, conseguirei ter momentos bacanas nesses dias cinzas, simplesmente por rever quem eu quero. Como falei, estou cansada da falsidade: preciso de gente verdadeira, que me admire sem reservas, sem falar mal de mim pelas costas (como eu sei, vem acontecendo por aqui, sobretudo com quem se posiciona como "amigo" meu e não é). Não preciso dessa merda e sei nitidamente com quem de fato posso contar, com quem, ainda que me decepcione, saiba reconhecer a mancada. Eu também decepciono. Todos os dias, principalmente a mim mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário