quinta-feira, novembro 13, 2008

Delay






Equipe Noir fazendo a linha comportada e com Warley, nosso simpático motorista (fotos: Fabiano "Carrarinha" Aguiar)



Era para esse post estar aqui desde segunda, mas quem disse que deu tempo? Como ainda tenho memória, vou passar impressões (datadas, eu sei) e fatos do final de semana assim mesmo. Afinal, o blog é meu e eu faço dele o que eu quiser (um clássico dos arianos usar essa frase). Até postar notícia velha e indigna de comentário. Vamos lá:

- Mega Space: Nunca havia ido àquele lugar. Fora o calor insuportável, achei uma alternativa boa para festivais. O povo de Pequenópolis fica chiando que é longe, é longe, mas fora o Sesc Pompéia nunca vi show nenhum perto da minha casa em São Paulo. E por essas bandas, tudo é melhor que Chevrolet Hall (a acústica de lá é um lixo e pronto).

- Shows: Por uma série de razões, não vejo a maioria esmagadora. Os internacionais foram mais fáceis. Maroon 5, apesar de não me apetecer, fez uma ótima apresentação e levantou a galera. Offspring foi uma decepção. Também com o Dexter gordo e sem fôlego, só restava um "thank you", depois do cumprimento da tarefa.

- De tirar o fôlego: Eu nunca achei o Maroon 5 nada de mais. Em todos os quesitos, mas aquele Adam Levine é muito lindo. Lindo, mesmo não fazendo o meu tipo. Lindo de desconcertar (fiquei sabendo que deu sopa na Obra depois. Fato que posso lamentar à vontade, já que meu marido não lê esse blog). Nos clipes e fotos ele não passa essa impressão.

- Troféu artista fofo: NX Zero. Foram pontuais e extremamente gentis com todos. A Noir virou fã, posso assegurar.

- Troféu artista mala: Big Cry, pelo enésimo ano consecutivo. "Disseram por aí que a gente não tocaria no Pop Rock Brasil", gritou pro público. Se eu tivesse um microfone na mesma potência, retrucaria: "Eu disse. E pena que você e sua banda chinfrim vieram".

- Mico: Eu sei que tenho que fazer a linha discreta, mas chegou ao meu ouvido que na coletiva do Strike uma pessoa com a credencial de imprensa perguntou se agora que a banda está mais famosa em relação ao ano passado (?), ela está beijando mais fãs na boca (??????????). Fernandinha não se conteve e falou para a fofa reservadamente que isso é constrangedor. Bons tempos quando as pessoas saíam pautadas ou informadas da redação. Depois dizem que eu implico à toa com os meus "colegas".

No mais, as groupies continuam a cercar camarins, os artistas iniciantes continuam atrás de jornalistas e artistas famosos com seus demos, algumas panças não páram de crescer (e deveriam parar, afinal Dinho Ouro Preto do alto de seus enta, continua sequinho), vários bicos insistem em dar carteirada (acho isso o fim da picada porque a figura necessariamente perde a linha vem com aquele "você sabe com quem está falando?". E claro que eu não dou a outra face) e mesmo dizendo que não no calor (e que calor) da hora, a gente se diverte no final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário