terça-feira, dezembro 23, 2008

Eu viveria como dondoca sem problema algum



Há pouco me dei conta que não morreria de tédio ou culpa se não tivesse que trabalhar ou vá lá, que minha jornada fosse radicalmente reduzida. Muita gente pode achar absurda tal afirmação. O fato é que defendo cada vez mais menos tempo no trampo, com maior remuneração: "por uma vida menos ordinária" simplesmente.

Não me sentiria bem trabalhando num esquemão de alguns funcionários públicos, longe disso. No meu mundo de malboro, desejaria que lixeiros, manicures, engenheiros, médicos, quase todo mundo trabalhasse umas quatro horas por dia no máximo e fosse muito bem pago. Seríamos mais felizes, estudaríamos com afinco, cuidaríamos melhor de nossos parentes, amigos e, boa parte das pessoas, de suas próprias vidas.

Um dia de recesso foi mais produtivo do que muitos no escritório. Atualizei playlists do ipod, li as notícias do dia, corri, almocei com o marido, fui ao supermercado, fiz acupuntura, entreguei lembrancinhas de natal, tomei um lanche (com direito a uma taça de malbec) com minha mãe e minha irmã, fiz as unhas e pude brincar com meu gatinho um tempão...Tudo isso com calma e prazer. A vida poderia ser mais assim e menos daquele jeito, o da segunda a sexta entre a manhã e a noite, com eventuais finais de semana e feriados.

O jeito é aproveitar o recesso. Mesmo que surja aquele bodinho básico quando janeiro chegar.

2 comentários:

  1. Amore!
    Deus não dá asas às cobras não é a toa!
    Depois, com todos esse tesouros que você tem, e quer curtir mais, será que a monotonia não iria minguar essa vontade?
    Que em 2009 vc tenha cada vez menos tempo de curtir todas essas "maravilhas"...não por trabalhar muito mas porque torço que todas elas se multipliquem! Aos montes!
    Bjocas Mil pra vc e toda a Macacada!

    ResponderExcluir
  2. Yes, yes, yes!!!!! "Less work, more money" é o nosso lema. E algum dia, há de vingar!
    Beijo!

    ResponderExcluir