quinta-feira, julho 06, 2006

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
A palavra no muro
Ficou coberta de tinta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro
Tristeza e tinta fresca

Nós que passamos apressados
Pelas ruas da cidade
Merecemos ler as letras
E as palavras de Gentileza

Por isso eu pergunto
À você no mundo
Se é mais inteligente
O livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é o circo
Amor palavra que liberta
Já dizia o Profeta - Marisa Monte


Eu não fui freqüentadora do salão e nem habituê das festas, mas sempre tive uma admiração profunda pelo Humberto, o Seu Cabelo. Depois de lutar contra o câncer, a pior e mais injusta de todas as doenças, a que leva embora muitas pessoas generosas (algumas das mais que já conheci), ele foi para o céu. Foi deixar os anjinhos mais modernos e descolados. Embora fosse "da pá virada", é com certeza lá em cima que ele está agora, com seu astral sempre elevado e sua capacidade de querer que nós aqui na terra possamos cumprir nossa estada com mais justiça, dignidade e festa porque não somos de ferro!

Entrevistei Seu Cabelo mais de uma vez. Na primeira foi para ouvir as histórias que continham no livro "O Esqueleto no Armário", do sobrinho André, inspirado na vida do tio. Ele, que usou e abusou da tríade sexo, drogas e diversão era, na ocasião da nossa conversa, um homem mais espiritualizado, sem aquela de mensagens edificantes ou lições baratas de fervorosos. Seu Cabelo não perdia o bom humor. Lembro-me de que passei mal com o defumador que ele tinha no salão, de tão forte o aroma. Ele apagou o incenso somente porque reconheceu em mim uma pessoa desprovida de energias negativas. Depois, nos esbarramos em baladas e shows. Por causa dele, dançando como louco no Eletrônika, eu copiei o CD Maria Alcina e O Bojo e cantei "Cataflan" várias vezes por aí.

Foi o Seu Cabelo, que veio de uma família de artistas, quem deu força para um monte de DJs talentosos em Belo Horizonte com suas festas Gentileza. As ruas da Savassi eram fechadas para os shows e ele arrecadava quilos e mais quilos de alimentos para instituições assistenciais. Seu Cabelo, o cara do "não faz mal fazer o bem" provavelmente ganhará materinhas de 20 cm nos jornais. Nenhuma capa. Nada será do tamanho de seu coração porque ele não é o Bono. Infelizmente, a grama do vizinho continua sendo mais verde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário