segunda-feira, janeiro 04, 2016

Desejos grisalhos

Primeiro dia útil do ano.
Tem aquele sono,
aqueles dois quilos a mais,
aquelas pessoas bronzeadas,
as que não voltaram de viagem,
as que não foram.
As mesmas velhas resoluções,
as novas com muitas chance de não ir para frente.
Eu me antecipei e li as previsões de 2016 para Áries em dezembro de 2015.
Ainda não sei se vai ser bom, mas vou até o fim trabalhada no livre arbítrio.
Faz tempo que larguei oráculos.
E projetos.
E escritos.
E pessoas.
Vai, 2016, vai ser melhor para humanidade.
Eu só não quero ter muitos solavancos.
Porque já balancei demais.
Como meu último ano na casa dos 30 gosto de pensar que, de uma vez por todas, poderia existir o tal respeito aos meus cabelos brancos.




2 comentários:

  1. Pobre 2016... microcéfalo...
    Todos o temem e o maldizem, sem sequer o terem conhecido.
    Sofre do pecado original: é filho do amargurado 2015.
    Surpresa: a vida não é fácil pra ninguém (e ninguém deveria querer uma vida fácil), nem para os pobres dos anos...
    Ludj, vai ser difícil viver o livre arbítrio neste ano, e não sucumbir ao "deixe a vida me levar"...
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Eu nem temo, querido. Um ano é um ano, mas eu não deixo mais me levar não. Quero planejar (outro tipo de planejamento) mais. Abraços e bom ano!

    ResponderExcluir