terça-feira, junho 11, 2013

Dores do Mundo

Eu queria ter o sorriso do Louis Armstrong no refrão de "What a Wonderful World". Ainda que eu veja beleza no meu jardim, nas manhãs de outono, na criancinha que acena para mim na praça, na Alice me acordando com seu miado de soprano, não acho o mundo maravilhoso.

Eu queria ver a morte como um rito de passagem, da mesma maneira que os orientais vêem, agradecer pela vida que eu tive na hora de partir, ir embora sem dor ou demência. Acendo incensos, leio textos budistas, rezo, medito e tento tanta coisa por uma vida melhor, mas não parece ser o suficiente.

E assim, notícias recentes sobre tumores e mortes prematuras, somadas às pequenas e grandes indelicadezas de cada dia vão atravessando meu caminho. Tento ser passarinho...quero voar para bem longe.

2 comentários:

  1. Querida Ludj, é só um dia triste e vai passar. Mas se para bem longe quiser voar, voa em direção ao mar, e me avisa.

    ResponderExcluir
  2. obrigada pelo carinho. Aviso quando for voar. :)

    ResponderExcluir