terça-feira, dezembro 12, 2006

"A vida até parece uma festa. Em certas horas isso é o que nos resta"

Houve alguma relutância da turma da redação em comparecer à festa de confraternização do Grupo Estado na Via Funchal. O que eu entendo porque um dia já fui meio blasé desse jeito. Eu achava que reunir pessoas tão diferentes em torno de música e decoração um tanto quanto duvidosos era algo desnecessário ao meu folclore pessoal. Puro preconceito.

Mas a festa em questão era a fantasia. Seria demais eu pensar num traje ou tema com a minha vida nesse ritmo frenético de trabalho, freela e falta de tempo para tudo. Usei um figurino mais patricinha para forjar uma caracterização.

Por sorte, o pessoal da minha editoria - incluindo "chefinho", como eu e o Bezzi chamamos o Felipe, nosso editor - foi em peso. Quer saber? Foi uma noite mais do que agradável. Rimos bastante, dançamos MC Leozinho e ainda observamos à paisana micos alheios e alguns bafões.

Como a cerveja fosse de marca razoável e gelada, excedi um pouco. Tomei muita água para compensar. No entanto, acordei com uma leve dor de barriga combinada com a ressaca.

Hoje foi aquela tiração de sarro. Pelo andar da carruagem, aqui não rola o tradicional amigo oculto (que os paulistas chamam de secreto). O que é uma pena, pois é sempre bom ter um pretexto para se divertir.

Apagão

Por conta da ignorância da Eletropaulo a luz de casa, mesmo paga, foi cortada. Impressionante como os serviços no Brasil são um lixo. Eles cobram uma taxa de religa imediata de 29 reais, que eu e o Rodrigo não pagaremos, e outra de 5 reais para 24 horas. Como não tenho tempo e saco para acionar o Procon, passarei por um dia de ceguinha, trombando em tudo. Pelo menos tem a academia relativamente perto para tomar aquele banho quente...Decidi não me estressar por conta da minha labirintite. Um serenus a mais na minha cota diária e, como diria Scarlet O' Hara, amanhã eu penso nisso.

Pipoca

Vi dois filmes muito legais: O Ilusionista, com o fofo do Edward Norton (apesar daquele cavanhaque péssimo) e Um Beijo a Mais, que estréia no ano que vem. Esse filme tem uma trilha sensacional escolhida pelo Zach Braff, protagonista da história. Caiu como uma luva por que trata de pré-trintões como eu que estão naquela de "casa ou compra uma bicicleta".

Hora de ir embora porque amanhã o batidão começa cedo e não tem hora para acabar...

2 comentários:

  1. lud, adorei o filme! e tb ficar aí com vc um pouquinho! me manda depois o nome do outro filme preu baixar a trilha?
    saudades e beijos

    ResponderExcluir
  2. Pois é menina. Tem que ficar mais. Vou baixar e te dou o CD. Beijos

    ResponderExcluir