sexta-feira, dezembro 15, 2006

Depois tem gente que diz que eu sou pessimista...

Depois de ouvir numa reunião que o orçamento da empresa em 2007 será mais enxuto do que foi neste ano (donde se conclui: nada de reajuste no salário), por uma terrível ironia do destino leio a manchete do dia em todos os jornais. Não é que os parlamentares promoveram um aumento de 91% para eles mesmos? Aí me lembro da vergonhosa tarja preta que colocaram no dia da morte do Pinochet, como se alguém, com o mínimo de consciência, pudesse sentir a dor da perda de uma criatura como ele. Ligo para a Telefônica (que fez o favor de colocar o código de barras da conta do mês anterior no atual e com isso me fez pagar dois valores idênticos) e sou informada que o valor pago ainda não foi computado. O melhor: o ressarcimento ocorre em 10 dias úteis. Enquanto isso, a linha segue bloqueada mesmo paga. Afinal, eles precisam deixar meu dinheiro rendendo o suficiente em seus fundos de investimento até a devolução numa agência lotada e infernal como todas do Banco do Brasil. Tento comprar a passagem de ônibus para BH na internet e qual a surpresa? As tarifas foram reajustadas acima da inflação, pois alguém mais esperto que eu pode burlar a lei, a ética e o bom senso simplesmente para lucrar com o caos nos aeroportos. Situação, aliás, que me fará ter um dia a menos em BH, já que não posso me dar ao luxo de chegar a hora que quiser no trabalho porque fiquei mofando em Confins. Fico pensando se ter filhos é algo que um dia eu deva cogitar. De que vale ser do bem num mundo que só quer te explorar e lesar de alguma maneira?

Nenhum comentário:

Postar um comentário