terça-feira, agosto 01, 2006

De vez em quando acredito que minha memória é o que tenho de mais precioso. Me pego lembrando não só de situações vividas como de escritos que um dia li ou que recebi. Este chegou com a carta, de alguém que não conheci.

Se tivesse eu os panos bordados dos céus,
Entremeados com luz dourada e de prata,
O azul e os panos não ofuscantes e escuros
Da noite e da luz e da metade-luz,
Eu espalharia os panos debaixo dos teus pés:
Mas eu, sendo pobre, tenho somente os meus sonhos;
Eu espalhei os meus sonhos debaixo dos teus pés;
Pisa com cuidado porque pisas os meus sonhos.

de William Butler Yeats

Nenhum comentário:

Postar um comentário