segunda-feira, janeiro 16, 2006

Falta de respeito ou pau no cu do Grupo Pão de Açúcar

Eu estava preparada para passar umas duas horas na fila do ingresso para o U2, tendo como base a espera de quem comprou tíquetes para o Pearl Jam. E como a entrada está longe de ser barata, nunca imaginaria que iria esgotar em tempo recorde. Cheguei ao Pão de Açúcar da Brigadeiro Luiz Antônio dez da manhã. Entrei na fila errada. Até estranhei porque estava pequena. Eis que um segurança me disse que era para descer a Alameda Lorena. Quatro quarteirões depois e um sol de rachar, lá estava eu. Carros de reportagem passaram o tempo todo. Camelôs faziam a festa vendendo água a dois reais. Muita especulação sobre venda para estudante, falcatruas na fila de idosos, gestantes e portadores de deficiência até que eu fui apurar na boca do guichê. Sim, estava um caos. O sistema de cartão falhando, gente amontoada na porta, polícia, ambulância, etc. Comecei a sentir minha pressão caindo lá pras duas da tarde. Fiz um lanche reforçado e comprei um protetor solar FPS 50 porque eu já estava toda ardida. Espera, ansiedade e muito interurbano para BH. Em alguns momentos, todos ao meu redor levavam na esportiva: compraram cartas para jogar truco, começaram a cantar, contar a história de suas vidas e o amor por Bono Vox, etc. Cinco da tarde e eu era pura psicopatia. Sete horas na fila! Fui me entupir de calorias no Mac Donalds mais próximo porque estávamos num esquema de revezamento para comer, sentar e fazer xixi. Na volta, mais casos do arco da velha na orelha e gente desistindo. A média de movimentação era de quatro horas por quadra e faltavam três para completar. Toda instante aparecia um com boletins da internet, que relatavam confusão no Rio, congestionamento nas vendas on line, enfim, um amadorismo só. Será que o Grupo Pão de Açúcar é tão imbecil, que não podia colocar mais gente nos guichês ou mais postos de venda? É cômodo demais lucrar às custas dos idiotas e fazer com que a gente se sinta muito terceiro mundo fudido e sem direito a respeito algum. Aposto que vai ter cambista vendendo a 500 paus e muita gente vai comprar. Eu, jamais. Sete da noite, com bolhas nos pés, queimada e suada, entreguei os pontos. Vaguei pelas ruas como um zumbi, sem saber direito para onde ia e se valia, na hora do rush, pegar um táxi. Eu e meus amigos ficamos na mão por incompetência dos mercenários, escrotos do Pão de Açúcar. Não compro nem uma caixa de fósforos naquele supermercado de merda.

3 comentários:

  1. Nem pela internet eu consegui!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo10:58 AM

    para todos que não conseguiram os igressos faço das minhas a palavra de bono


    "I Still Haven't Found What I'm Looking For"

    não desistam

    Uiara

    ResponderExcluir
  3. Tô com irrrca desse povinho!

    ResponderExcluir