quinta-feira, março 02, 2017

Quaresma

Das lembranças da escola estadual, o mural dos corredores com frases cristãs. Surgiam algumas variações ano após ano sobre o "tempo de renovação". Havia também os discos que tocavam no fim do recreio marcando a Campanha da Fraternidade. Além da voz empostada do cantor, uma espécie de Nelson Gonçalves que não deu certo, arranhões no vinil eram frequentes. Eventualmente, perdia-se quase todo o refrão na audição. Eu ria e a professora me reprimiam apenas com o olhar. As orações antes do início das aulas ganhavam sermões adicionais que seguiam por 40 dias. Ao mesmo tempo, sempre tinha um garoto puxando meu cabelo quando o esforço para se concentrar (e não gritar) era a garantia de se livrar do castigo depois da aula. Antes de tudo acabar em chocolate, o feriado era marcado por procissões, ladainhas, véus e tons de roxo. Os tapetes de serragem nas cidades históricas me encantavam e eu adorava o cheiro de madeira no ar. Ficava ansiosa para caminhar sobre eles, mesmo com os desenhos desfeitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário