segunda-feira, janeiro 10, 2011

Anoitecer

Exausta, tentando ouvir a música enquanto os carros aceleram histéricos na rua. Não sei qual lua está no céu, mas achei bonito seu tom esfumaçado. Andei muito hoje, debaixo de sol. Senti calor, ainda que não tenha me incomodado profundamente como das outras vezes. Penso no dia de amanhã, a terça-feira mesmo: as muitas coisas para fazer, as pendências que não consegui resolver como enviar aquela correspondência pelo Correio. Vejo os fios brancos querendo aparecer no meu cabelo e a unha do dedo esquerdo que acabou de lascar, estragando o esmalte vermelho tão lindo que escolhi.

Exausta, tentando domar a mente que gira e seguir meu ritual noturno. Hora de tomar banho, vestir a camisola, passar cremes no rosto, tentar me desconectar. Hora de pegar aquele livro que está empoeirado na cabeceira esperando eu me empolgar novamente por ele. E assim que deito, vem aquela sede. A sede de quem vai passar ao menos cinco horas adormecidas. Queria ter um sonho bom essa madrugada ou, ao menos, me lembrar do que sonhei. Vou tomar o copo d'água e achar os gatos que amam se esconder nos cantinhos, principalmente quando cai a noite.

Exausta, à procura dos bichanos e sem sono, pois este possivelmente me atormentará até a metade do meu amanhã que é terça-feira - e está a minutos de acontecer. Ajusto o relógio para uma hora mais cedo que o costume, pois irei mergulhar e exercitar numa piscina profunda para aliviar o cansaço, para retomar aquela sensação que eu acredito ter perdido entre um certo mês de novembro e o ano que se passou. Quisera eu boiar na água agora, olhando para as estrelas. Só existiria esta música no modo "repeat" e os meus pensamentos que já se encontram descordenados dos meus dedos.

Exausta tentando escrever ou mesmo achar a poesia por aí.

Meu coracão está tranquilo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário